sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Tutorial


Olá a todos!

Vim só partilhar com vocês um tutorial que encontrei no Youtube, sobre as caricaturas realizadas no Photoshop. 
Espero que gostem e que vos ajude!







Caricaturas.

Caricaturas.

Tenho uma dessas lá em casa. É do meu pai.

Se não me engano, foi no Algarve que ele pagou a um daqueles artistas para lhe fazerem a caricatura. Bem tentou não sorrir para que o artista não lhe fizesse uma dentadura, mas não conseguiu conter-se.

Deixa lá. Mas caricaturas...

Lembro-me de ver caricaturas pela primeira vez nos livros de História; eram dos tempos da Revolução Francesa. Recordo particularmente as da Maria Antonieta. Um bocadinho difíceis de esquecer:


Dificilmente tal cabeleira passaria despercebida...

Mas, de acordo com o que fui pesquisar, esta história toda das caricaturas começou com Annibale Carracci - claro que tinha de ser italiano... E é também do italiano que provém o próprio termo - caricare - que significa exagerar, normalmente aumentando algo, de modo que fique desproporcional.



Outros que também se destacaram na arte de caricaturismo foram Domenichino e Guercino, ambos artistas da Escola de Bologna.  Por sua vez, Pier Leone Ghezzi foi o pioneiro no que diz respeito à produção quase exclusiva das caricaturas.

Já as obras de Gianlorenzo Bernini - um dos caricaturistas mais brilhantes do seu tempo - foram destacadas pelos críticos graças ao minimalismo dos traços que, mesmo assim, mantinham a sua expressividade.




Isto é para quem gosta de caricatura!

Eu não as acho assim tão más mas tenho em mente outras coisas. Mesmo assim vou ter que fazer uma (só uma que eu saiba) para O.M.B.. HELP!

Correção ortográfica e sintática: Anastasiia Kolesnyk


Consultei o seguinte site:_(https://pt.wikipedia.org/wiki/Caricatura)_no dia 11/01/2018

Imagem 1:_(https://blogs.bu.edu/guidedhistory/files/2012/09/hair.jpg)_ no dia 11/01/2018

Imagem2:_(https://3.bp.blogspot.com/-77b9NxDI6Vk/TcRKh34n1VI/AAAAAAAAAcM/g5q8OqzKU_g/s1600/Annibale+C.jpg)_ no dia 11/01/2018

Imagem 3:_(https://images.metmuseum.org/CRDImages/dp/web-large/DP800033.jpg)_no dia 11/01/2018

Imagem4:_(https://static1.squarespace.com/static/52c1b397e4b0da7f332455a5/53283960e4b0fb8ebe762805/53283964e4b0bbf6a453293c/1395145146550/bernini-sketch001.jpg)_no dia 11/01/18

















Atividade "Dia do Perfil"


Atividade: 15 janeiro 2018


Aceder ao seguinte guião:
http://sites.aebenfica.org/geral/projetos/perfil-aluno


Enviar em comentário a sua reflexão:

(Copiar e colar este texto modelo)

Nome:
Ano:
Turma:
Numero:

A minha reflexão:





quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Curso de Ilustração


"Labirinto"




Inscreve-te já no Curso de Ilustração - Labirinto!

Este workshop irá realizar-se na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa e decorrerá entre 30 de Janeiro e 22 de Maio de 2018. Caso estejas interessado, deves inscrever-te até ao dia 23 deste mês. 

O curso dedica-se especialmente aos alunos e profissionais de artes plásticas, ilustração e design. O seu valor é de 300€ para alunos inscritos na FBAUL (Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa) e 350€ para o público externo. 
No total irão ser feitas 25 sessões, cada uma de 4h. Estas irão ser realizadas às terças e quintas feiras entre as 18 e as 22 horas.

À frente do projeto encontramos:
 - José Pedro Cavalheiro - Coordenador do curso;
 - João Catarino - O formador. 



Mais informações:
213 252 109
cursoslivres@belasartes.ulisboa.pt
http://www.belasartes.ulisboa.pt/workshop-de-ilustracao-labirinto/



Fontes: 
http://www.agendalx.pt/evento/labirinto#.WlfiVqhl_IU
http://www.belasartes.ulisboa.pt/workshop-de-ilustracao-labirinto/
ESCHER EM LISBOA






Está a decorrer no Museu de Arte Popular, a primeira grande mostra dos trabalhos do artista gráfico holandês Maurits Cornelis Escher (jun-1898 / mar-1972).
Conhecido por seus trabalhos em xilogravuras e litogravuras que representam obras fantásticas, incomuns, com várias perspectivas, geradoras de ilusão de ótica no observador, Escher  foi considerado um artista matemático, sobretudo geométrico.
"Da capa do álbum de Pink Floyd de 1969 a um genérico dos Simpsons, passando por videojogos como Sonic ou Lemmings, videoclipes dos Daft Punk ou dos Incubus, ou por filmes como Labyrinth e Inceptio, Escher teve uma influência forte no mundo da arte e no do design. E também no da moda e no da publicidade – podemos, por exemplo, ver uma campanha da IKEA para promover o seu serviço de montagem em que são mostradas abstracções de produtos da marca sueca."
Fontes: 

Caricatura, a origem

O que é a caricatura?
 
Imagem relacionada
 
  A caricatura é um desenho inspirado em personagens da vida real. Porém, a caricatura exagera as características da pessoa de uma forma humorística, assim como em algumas circunstâncias acentua gestos, vícios e hábitos particulares em cada indivíduo. Ser caricato é ser objeto de brincadeira, ironia ou ter algo peculiar na face ou no corpo, levados ao exagero, à sátira  ou como crítica de social.
 
Origem e Caricaturistas
 
  A palavra caricatura provém da palavra italiana caricare, que significa carregar, no sentido de exagerar as feições do desenhado. É comum vermos hoje em dia caricaturas políticas, de futebol ou sobre a sociedade nos jornais e revistas, no entanto, as sátiras sociais através de caricaturas já existiam principalmente a partir do século XVIII, realizadas por artistas de renome.

Imagem relacionada
 
  Artistas como os ingleses James Gillray (1757 - 1815) e Thomas Rowlandson (1756 - 1827), considerados brilhantes caricaturistas, que faziam o observador logo reconhecer a personalidade que estava a ser representada; o francês Honoré Daumier (1808- 1879), que com a agitação social em França no século XIX foi um prato cheio para os caricaturistas, principalmente sobre o rei Luís Filipe de França. Outros artistas como Tiepolo e até Picasso, também têm trabalhos de caricatura. Monet, por exemplo, era caricaturista no início de sua carreira.
 
Imagem relacionada
 
  É comum ainda o uso de elementos caricaturais nas artes gráficas contemporâneas.
Atualmente, são vários os caricaturistas que se destacam internacionalmente, fazendo exposições e publicando na media. Os maiores nomes são Sebastian Kruger, Jan Opdebeek, Mulatier entre outros.
 
A caricatura em Portugal
 
  Na época medieval, a crítica expressava-se, essencialmente, pela produção de poesia trovadoresca satírica que aumentava através das cantigas de escárnio e maldizer. É ainda pela palavra representada que surge a obra do grande satírico português, o dramaturgo Gil Vicente.
  Mais tarde com o aparecimento da Inquisição, o espírito satírico nacional esvai-se, passando a estar associado à subversão da sociedade.
  Só mais tarde, no século XVII se reúnem as condições para o humor renascer. A imprensa, desde logo, mostrou-se como o seu mais fiel suporte, fazendo difundir a crítica satírica através de folhetos, papéis volantes, etc.. Os desenhos que surgem nesta época são adaptações de trabalhos estrangeiros que procuram criticar o sistema político nacional, uma vez que a arte da gravura erudita era uma arte sem raízes na tradição artística portuguesa.
  As influências liberais, as guerras napoleónicas, a violência política de um modo geral e a instabilidade do pensamento desencadearam uma série de reações na imprensa da época. É a partir do século XIX que a produção jornalística e a sátira flutuam ora ao sabor da liberdade de expressão ora ao sabor da intolerância do poder. Em meados de 1850 surgem os primeiros jornais com ilustrações satíricas: «O Patriota», «O Torniquete», «Demócrito», «Duende», etc...
  Nesta época os artistas eram quase todos artesãos que ilustravam grosseiramente uma legenda ou um texto satírico. As caricaturas de teor político surgem como resposta à repressão, à ditadura, ao despotismo e na maior parte das vezes são anónimas ou assinadas por pseudónimos.
 

Com o desenrolar do século, os ânimos violentos do desenho acabam por dar lugar a uma nova concepção filosófica de arte, mais preocupada com a evolução estética. Manuel Bordalo Pinheiro, Manuel Macedo e Nogueira da Silva, foram os principais responsáveis por este virar de página na vida da caricatura em Portugal.

 








quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

GuruShots

O "Jogo" de Fotografia da GuruShots


O GuruShots é uma maneira inovadora de partilhar e interagir com as criações de inúmeros e talentosos fotógrafos espalhados por este mundo fora.


Esta aplicação funciona como se fosse um jogo em que cada usuário pode votar nas suas fotografias favoritas dos diferentes desafios.





À medida que se ganham votos e desafios sobe-se de "nível" e ganham-se mais privilégios. O nível mais avançado é o de Guru, o que não é nada fácil de atingir!



As melhores partes desta aplicação é o facto de ser gratuita, uma óptima forma de melhorar as técnicas fotográficas e ainda poder ganhar prémios como câmaras ou computadores!

Podes juntar-te a esta comunidade aqui e começar já a partilhar as tuas melhores fotografias.

Sites consultados:


Links consultados no dia 10/01/18 às 17.00



Racismo nos carros?


Racismo nos carros?

Presidente do Turquemenistão, Gurbanguly Berdimukhammedov, proíbe o uso de carros pretos. 

Desde 2015 que se tornou proibido a importação de carros desta cor, mas neste momento, até mesmo aqueles que já existiam no país foram proibidos. 

Todas as pessoas com automóveis pretos estão a ver-se obrigadas a pintá-los de uma nova cor e quem não o fizer, irá ver o seu carro a ser rebocado. Para os reaverem, os condutores necessitam de assinar um documento onde se comprometem a pintar o seu veículo de uma cor mais clara.

Segundo o presidente, os carros pretos dão azar ao país, este que está a passar por uma profunda crise financeira. 





Fontes: 
- Informação: 



- Imagem: 




terça-feira, 9 de janeiro de 2018

      Documentário sobre David Bowie


No passado dia 8 de Janeiro, o canal morte-americano HBO estreou um documentário acerca dos últimos 5 anos da vida de David Bowie.
O documentário foi transmitido no dia em que o artista faria 71 anos e conta com os testemunhos dos colaboradores mais próximos do musico britânico. 
    




Fontes:



segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Jogo das caricaturas

Tenta adivinhar quem é! 
Escreve o nome do famoso nos comentários!


1



2



3




4



5



6



7



8



9



10





INTERESSANTE AQUI!!!

     Olá pessoal, caros colegas de turma,
venho por este meio informar-vos que teremos de publicar neste espaço, agora, regularmente, com bastante frequência, para adquirirmos uma boa classificação, na disciplina de Oficina de Multimédia B (que nome pomposo).

Brincadeiras e tentativas falhadas de fazer uma graça, à parte, era só para deixar-vos aqui um vídeo do que devem ver quando estão num dia menos bom! 




Beijocas!
Divirtam-se!

A Historia da Arte

Escrita por Ernst H. Gombrich, «The Story of Art», em português «A Historia da Arte», foi publicado pela primeira vez em 1950, e já na sua 16.a edição, é considerado um trabalho indispensável de crítica de arte e uma das mais acessíveis introduções às artes visuais. Originalmente dirigido para leitores adolescentes, vendeu milhões das cópias e foi traduzido em mais de 30 línguas.

 

Nascido em Viena, ainda na época do Império Austro-Húngaro, em 1909 e falecido em Londres, em 2001, Ernst H. Gombrich foi autor de outros bestseller mas nenhum teve um sucesso tão grande como A Historia da Arte, tornando-o talvez o historiador de arte mais conhecido do seu tempo. Venceu diversos como: Prémio Erasmo, Prémio Wittgenstein e o Prémio Goethe. Em 1972 foi armado cavaleiro e em 1998, recebeu a Ordem de Mérito da Grã-Bretanha.

 
 


Escrever num blogue...

Escrever num blogue... Eich...



Vou ser muito honesta e direta.

Nunca escrevi num blogue, nem escrever é o meu forte.

Não quer dizer que eu seja muito má a escrever, simplesmente significa que prefiro fazer outras coisas.

Mas pronto, é a vida...

Não sei se mais alguém (da minha turma, é claro) pensou em ir ver como é que se deve escrever num blogue.

Mas pelo menos, se quiserem, têm aqui umas dicas que andei a pesquisar.

E vamos ver se ao mesmo tempo consigo pôr essas dicas em prática...


1: Conta uma história. Quem não gosta de histórias?


Aparentemente, "a ciência" diz que contar histórias ativa sei lá o quê e nós ficamos todos felizes e contentes quando lemos ou nos contam uma história.

Viram como eu no início comecei a contar como não gostava de escrever?

Isso fez-vos felizes e contentes?

Se não, ei, pelo menos tentei!


2: Escreve na primeira pessoa.


Ok, se queres chamar a atenção de alguém, escreve como se estivesse numa conversa de café.

Vais fazer com que o teu leitor se sinta mais à vontade e confortável.

Vamos ser honestos, já bastam os textos de treta das aulas de Português!


3: Foreshadowing... ou seja lá o que for.


Basicamente, esta "coisa" significa dar uma pista do que vais escrever, o que põe os leitores todos curiosos!

Por exemplo, quando no Harry Potter há aquela coisa toda de só um deles poder sobreviver e fica toda a gente a pensar "Eich! E se for o Harry a morrer e não o Voldemort!". Pronto, é esse tipo de coisa que põe "a mosquinha" nos leitores! 

Dá para perceber que no início eu tentei fazer a mesma coisa, com aquela treta toda de como se deve escrever um blogue e se consigo pôr as dicas em prática ou não?


4: Transições. E é aqui que vem a minha dor de cabeça.


Vamos fazer assim: não mudem de um assunto de um momento para o outro. Ok?

Não mudem o assunto de gelado logo para batatas fritas - façam o texto fluir! Do género: " Eich, ontem comi um ótimo gelado mas depois apeteceu-me batatas fritas. E tu sabes como eu adoro batatas fritas! Lembras-te porquê?..."

Perceberam? É que senão, a atenção dos vossos queridos leitores vai-se a baixo - algo que dúvido que queiram que aconteça.


5: Vamos ser claros, gente!


Estou mesmo a falar a sério: não se ponham a armar em chicos a escreverem algo muito complicado e arrojado, com palavras que ninguém conhece e combinações de verbos esquisitas.

Ninguém que ande a ler um blogue quer ler esse tipo de coisas, senão pegavam no livro de Português, que para mim já basta!


6: Não se ponham a escrever de mais.


Conselho: Não escrevam muito - estão a comprometer o número de likes.

Acho que toda a gente iria preferir ver um tutorial do Youtube a estar para aqui a ler uma cortina de texto!

No entanto, se é muita informação para comunicar, pelo menos façam-no interessante e apelativa.



7: Vamos evitar sermos muito breves.


Para não darem a ideia de serem preguiçosos, não caiam no erro de serem DEMASIADO restritos e diretos - não terem graça nenhuma.

Por isso, tomem atenção!


8: A wall of text! O grande terror!


Aposto que já se tinahmconfrontado com um parágrafo gigantesco de texto corrido e escolheriam morrer do que o ler.

Como é óbviu, ninguém quer passar por isso.

Por isso, aconselho que façam o seguinte: explorem frases curtas e parágrafos pequenos e espaçados.

Esta tática vai vos facilitar a vida como nunca poderiam imaginar.


Conclusão.

Vamos lá ser bonzinhos e agradáveis - como nós queríamos que a vida fosse - e não dar dor de cabeça a ninguém! Assim têm muitos mais likes!

Espero que as dicas ajudem!

Boa sorte!  



- LaoM


Correção ortográfica e sintática: Anastasiia Kolesnyk.

Consultei o seguinte site: _(blog.hubspot.com/marketing/how-to-write-interesting-content)_ no dia 07/01/2018





domingo, 7 de janeiro de 2018

   Musica Ilustrada

Alexander "Alex" Steinweiss foi um designer gráfico norte-americano que criou, em 1940, as primeiras capas ilustradas de discos de vinyl. Até essa data as capas dos discos eram feitos de simples papel-cartão mostrando somente o nome do artista.

Graças a Alex Steinweiss iniciou-se a idade de ouro do design de capas de álbuns que combinavam a ilustração e o grafismo, tendo criado ao longo de mais de 30 anos milhares de obras de arte originais para as capas de discos de música clássica, jazz e pop  para diversas impresas discográficas.





Outras fontes: https://pt.wikipedia.org/wiki/Alex_Steinweiss

Caricaturas do século XXI

As "Novas" Caricaturas 


Por norma conhecemos Caricaturas como sendo desenhos de pessoas ou personagens, como políticos e artistas ou pessoas vulgares.
O que destinge a caricatura do retrato é a enfatização e exagero de características da pessoa de uma forma humorística.

- Estas podem ser  características físicas:


- Ou noutros casos simbolismos ou situações pelos quais a pessoa é conhecida:




Muitas vezes as caricaturas são usadas como sátira jocosa ou como crítica de costumes.

Antigamente apenas os artistas eram capazes de as fazer com qualidade, no entanto com o avanço da tecnologia qualquer um pode experimentar a arte de caricaturar com o auxilio de algumas aplicações como por exemplo:
  • Photoshop
  • http://digibody.com/avatar-maker/index.php
  • http://flashface.ctapt.de/
  • http://www.gooifier.com/




Fontes:

Mensagem em destaque

Impacto da IoT nas Smart cities (parte 02)

Governo inteligente: Analisar reclamações e preocupações apresentadas pelos cidadãos devido a melhores capacidades sensorial ajuda a res...