domingo, 30 de abril de 2017

Alguns dos bugs mais desastrosos da História

 Apesar de, na maioria dos casos, um bug se tratar de um mero erro chato mas com poucas consequência, em certos softwares de grande importância mundial, um bug pode ser algo catastrófico a nível económico, científico e até humano. Seguem-se aqui alguns dos bugs mais desastrosos da história:


 Em 1991, no Iraque, 28 soldados morreram e 98 ficaram feridos, quando um sistema anti-mísseis Patriot falhou um míssil iraquiano.
 Esta falha despertou uma investigação sobre as suas causas, da qual se concluiu que o incidente se devera a um erro no software do sistema, que afetava os seus registos data/hora usados para a interseção de mísseis. Aparentemente o erro resultou do desgaste da bateria do Patriot  que, por estar a ser usada há cerca de 100 horas, levou a que esta convertesse pulsos de radar em dados com um terço de segundo de atraso, fazendo com que o abatimento do míssil se tornasse impossível. Atualmente esse erro já se encontra corrigido.


 Outro caso teve como consequência um custo de 100 mil milhões de libras aos contribuintes britânicos, assim como a demissão do representante da EDS. Com o objetivo de melhorar os procedimentos relativos à atribuição do abono de família, o departamento social do Reino Unido decidiu reconstruir um sistema implementado pela agência EDS, o que causou uma incompatibilidade que comprometeu a estabilidade do sistema e teve de ser rapidamente remediada, resultando num novo software de distribuição que não se encontrava capacitado para fornecer o abono a todos os beneficiários. Esta decisão teve como consequência a atribuição de mais abonos, beneficiando 1,9 milhões de famílias que os receberam indevidamente, o adiantamento de 239 mil pagamentos e a falha na entrega de 700 mil milhões de libras que deveriam ter sido dados às famílias carenciadas.

 
Por último, temos o caso do bug que levou à explosão do foguetão Aryan 5 que, para além de ter custado um total de 7 mil milhões de dólares à Agência Espacial Europeia, também lhes custou 10 anos de trabalho árduo.
 Aryan 5 tinha o objetivo de colocar múltiplos satélites em órbita em cada lançamento, de forma a aumentar a supremacia espacial europeia, no entanto, um mero bug que resultou da inserção de um número de 64-bits num espaço de 16-bits fez com que este explodisse. Aparentemente, este erro resultou do facto de o software de navegação ter sido desenvolvido somente com base nos dados fornecidos pelo Aryan 4, modelo anterior do foguetão. Desta forma, ao não levarem em consideração o poder do novo modelo, o Aryan 5 acabou explodir poucos segundos após a descolagem, não se encontrando, felizmente, tripulado.


 Para mais exemplos de bugs desastrosos segue-se aqui um vídeo publicado no youtube pelo utilizador Choppedporks: 



 fonte :https://www.youtube.com/watch?v=AGI371ht1N8 (consultado a 29/04/2017)

Sem comentários:

Enviar um comentário