Pesquisar aqui

sábado, 15 de outubro de 2016

Fotografia: Sensibilidade (ISO)

A sensibilidade é a capacidade química do sensor da câmara –o filme, na câmara tradicional, ou o sensor, na câmara digital – reagir à luz. 

Diferença na quantidade de luz da imagem em função do ISO

A sensibilidade do sensor é medida através do ISO (International Standards Organization). Neste contexto, quanto maior for o ISO, maior será a sensibilidade do filme à luz, de modo que se necessitará de menor quantidade de luz para obter uma exposição correta. Assim, por exemplo, um filme de ISO100 tem o dobro da sensibilidade de um filme de ISO50 e capta metade da quantidade de luz captada por um filme de ISO200. 
Contudo, o aumento da sensibilidade do sensor resulta numa consequente amplificação do ruído elétrico, de forma que, quanto maior for o ISO utilizado, menor será a resolução da imagem.

Diferença na qualidade de imagem em função do ISO

Neste sentido, para obter uma imagem com melhor qualidade deve utilizar-se o menor ISO possível, recorrendo apenas a um ISO alto quando não existem outras formas de compensar a falta de luz.

Os ISOs podem ser classificados em 3 grupos de sensibilidade:

Lenta (ISO de 25 a 125): São filmes que necessitam de grande quantidade de luz, mas permitem grandes ampliações com excelente qualidade, sendo indicados para fotografias de objetos estáticos, paisagens e imagens que precisem de grande definição de detalhes, como as fotos técnicas;

Média (ISO de 200 a 400): São filmes que necessitam de uma boa quantidade de luz. Este ISO permite imagens de boa qualidade, sendo usados para fotografar quase tudo: natureza, paisagens, fotos em estúdio e retratos;

Alto (ISO de 800 a 3200): São filmes de alta sensibilidade, necessitando de pouca luz. São úteis para situações de pouca iluminação ou quando se usa altas velocidades de obturador. Contudo, a resolução das imagens é inferior, apresentando ruído.


Escala do ISO




Sem comentários:

Enviar um comentário

Comente de forma construtiva...