sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Fotografar com longa exposição


Fotos com uma cascata aveludada ou um mar esfumaçado são o resultado de uma técnica simples: a longa exposição.



Fotografar com longa exposição consiste em utilizar baixas velocidades de obturação, de modo a captar os movimentos realizados pelo objeto fotografado.

Parque de diversões
4s; f8; ISO 80

Uma vez que, utilizando velocidades de obturação lentas o sensor da câmara fica exposto à luz durante muito tempo, para evitar que a foto fique sobre-exposta, deve utilizar-se um ISO lento e fechar o diafragma ao máximo. Ainda assim, caso a quantidade de luz não seja a adequada a uma exposição correta - o que acontece frequentemente em cenários diurnos - poderá ou diminuir-se um pouco o tempo de exposição do sensor à luz ou utilizar-se um filtro de densidade neutra (ND), que diminui a quantidade de luz que atravessa as lentes, permitindo a utilização de exposições mais longas sem que a imagem fique sobre-exposta. Ainda, para garantir a qualidade da fotografia deve usar-se um tripé ou - na falta deste –  estabilizar a câmara num lugar sólido e firme, de forma a garantir que a imagem não fica tremida com o movimento.

Light Painting: Fogo de artifício
4s; f16; ISO 100
Light Painting : Palha de aço em chamas, realizando movimentos circulares
5s; f8; ISO 80
Efeito fantasma: Mantém-se o objeto imóvel, na posição desejada, por apenas
1/3 do tempo de exposição. Quanto mais tempo imóvel, mais visível é o "fantasma"

Rastro das luzes de carros em movimento
 4s; f8; ISO 80  

Sem comentários:

Enviar um comentário