quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

DEPÓSITOS DE OXIGÉNIO NO NÚCLEO DA TERRA

A descoberta de novos óxidos de ferro no núcleo da Terra pode significar que o planeta tem uma camada de oxigénio líquido, com 10 vezes mais oxigénio do que toda a atmosfera.
Usando uma câmara especial de alta pressão, uma equipa de geofísicos russos e alemães identificou a existência de novos óxidos de ferro, que estarão presentes no manto nuclear da Terra. 
A descoberta significa que esta nova camada do núcleo da Terra deverá ser composta essencialmente por oxigénio líquido. “O óxido de ferro mais comum na Terra é a hematite, ou Fe2O3, que é o produto final de muitos processos geológicos e a principal fonte de ferro da nossa civilização”, explica à Science Daily a geóloga Elena Bykova, investigadora da University de Bayreuth, na Alemanha.
-Explicam os investigadores, que os óxidos de ferro que se encontram no centro da Terra são capazes de produzir oxigénio. “A quantidade do oxigénio produzido pela formação destes novos óxidos de ferro, como o Fe5O7, pode ser 8 a 10 vezes maior do que toda a massa do oxigénio na atmosfera actual do planeta”, concluíram os autores do estudo, publicado na revista Nature.
De acordo com os investigadores, o oxigénio líquido, na maior parte das vezes, escorre dos depósitos de minério de ferro submarinos para o núcleo da Terra através de fendas continentais. 
Resta agora saber o que acontece ao oxigénio líquido quando reage com o manto circundante ou quando sobe para as camadas mais altas do núcleo terrestre.

Sem comentários:

Enviar um comentário