sexta-feira, 10 de março de 2017

A história de uma fotografia: terror na linha da frente em Mossul



"Ambos aos berros e aterrorizados, um pai e a filha pequena que levava ao colo fugiam pela rua coberta de destroços de Wadi Hajar, transformada em campo de batalha entre os os combatentes do Estado Islâmico e as forças especiais iraquianas". A descrição é do fotógrafo da Reuters Goran Tomasevic e serve de legenda à imagem que captou e está a correr o mundo, uma das muitas fotografias do desespero dos habitantes de Mossul, no Iraque, à medida que os combates avançam pela cidade.

Tomasevic passou os últimos dias com as forças iraquianas que tentam tomar a cidade aos extremistas do Estado Islâmico. Captou imagens de habitantes que fugiam do contra-ataque do ISIS, esquivando-se às balas à medida que os combatentes extremistas se aproximavam. Entre eles um pai em pânico, com a filha nos braços.

Alguns, quando chegavam à parte controlada pelo exército eram recebidos também com berros, que lhes ordenavam que levantassem as camisolas, para terem a certeza de que não eram bombistas suicidas - uma tática que tem sido usada pelos extremistas.

Mais de 57.000 civis abandonaram a parte ocidental de Mossul desde o início da ofensiva das forças iraquianas a esta zona da cidade, informou ontem o Ministério das Migrações iraquiano.


Consultado a 10 de Março de 2017

Sem comentários:

Enviar um comentário