domingo, 23 de outubro de 2016

Dicas para fotografar à noite



Fotos noturnas são um pesadelo: é difícil focar, é difícil medir a luz e na maior parte das vezes acabamos com fotos escuras, tremidas ou com um montão de ruído.



ISO 100, 10mm, f/2.8, 1/25seg


1. Tripé é bom… mas não precisa ser muito grande


Fotos noturnas normalmente exigem tempos longos de exposição. Embora um tripé seja bastante indicado, eu sei muito bem como tripés são chatos. Eles são grandes e pesados, ocupam espaço e muitas vezes não podem ser levados como bagagem de cabine em viagens de avião. Um tripé grande é muito importante em fotos de estrelas ou de auroras boreais, mas para outras fotos noturnas eu prefiro usar um tripézinho pequeno de pernas flexíveis.



ISO 100, 10mm, f/8, 30seg


Uma dica extra: é claro que estes tripés não são tão estáveis quanto um tripé normal. Se você não tem ou não gosta de usar um disparador remoto é bem possível que o movimento de apertar o botão disparador faça sua foto ficar completamente tremida! Neste caso, use o temporizador da câmara (quando o tripé me parece especialmente balançante, uso o temporizador de 10 segundos. Se não, uso o de 2 segundos).


2. Use o nivelador da sua câmera

É muito fácil fazer fotos noturnas tortas, pois temos menos referências. Nessa situação o ideal é usar o nivelador embutido da sua câmera para ter horizontes retos. Procure no seu manual: se sua câmera não possui nivelador, use o nivelador de bolha do tripé.






ISO 500, 35mm, f/1.4, 1/13seg


3. Choveu? Fique feliz!


Chuva costuma ser uma péssima notícia, mas para fotos noturnas ela é bem vinda. Já notou que na maioria das cenas noturnas dos filmes as calçadas estão molhadas? É que a água reflete a luz, logo a chuva nos ajuda a deixar a cena mais bem iluminada e interessante.

Na próxima vez que chover você já sabe: ao invés de se encolher na cama, bota uma capa de chuva e saia pra fotografar!



ISO 200, 10mm, f/10, 30seg


4. Aberturas bem fechadinhas


Aberturas mais fechadas (como f/22) permitem exposições mais longas e, consequentemente, conseguimos registrar movimentos de forma interessante.



ISO 800, 35mm, f/22, 30seg


Em fotos noturnas a abertura menor também permite que os pontinhos de luz se pareçam com estrelas. Pode parecer um detalhe bastante pequeno, mas em uma foto maioritariamente escura isso faz bastante diferença :-)



ISO 100, 10mm, f/22, 30seg


5. Por fim… as configurações


Sei que uma das grandes dificuldades da fotografia noturna é a parte mais técnica. Embora cada situação seja única (pra variar!), algumas dicas são válidas:


Para focar: use o liveview (tela LCD) da câmera e dê zoom para focar manualmente. Normalmente é mais fácil focar em pontos de luz do que em outras áreas. Eu não costumo confiar no foco automático nesses casos.

Para a foto não ficar com muito ruído: aposte na longa exposição ao invés do ISO alto. Eu, pessoalmente, não acho que o ruído é algo tão do mal assim. Veja nas configurações das fotos acima que às vezes “sacrifiquei” o ISO, às vezes a abertura (usando até 1.4!) e, na maior parte dos exemplos, o tempo de exposição (de até 30 segundos.)

Para a foto não ficar tremida: o tripé é seu amigo, mas se não tiver um disponível, apoie a câmera em um banco, no chão, no muro, em qualquer lugar :-) Só não vale achar que vai ser possível segurar a câmera firme por 2 segundos.

Para a foto não ficar escura: a fotometria de uma cena noturna é diferente da cena diurna. Dificilmente seu fotômetro ficará zerado. Embora, repito, situações diferentes peçam soluções diferentes, lembre-se que a tendência é que o fotômetro fique um ou dois pontos no negativo. Na dúvida, teste e refaça.


Fonte: http://www.dicasdefotografia.com.br/5-dicas-para-fotos-noturnas/

Sem comentários:

Enviar um comentário