sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Centro Português de Fotografia acolhe obra de Joaquim Gomes Ferreira Alves



Fundador do Sanatório Marítimo do Norte, em Valadares, Vila Nova de Gaia, o médico Joaquim Gomes Ferreira Alves é um reconhecido ilustre do Porto que muito fez pelo combate à tuberculose com recurso à helioterapia (banhos de sol). Mas também deixou um valioso património como fotógrafo amador. Este espólio despertou a atenção do Centro Português de Fotografia (CPF) que o adquiriu, por estes dias, por doação. São 350 documentos, entre positivos estereoscópicos, provas de época, diapositivos, documentos textuais e um visor estereoscópio Verascope Richard do clínico.

Foi Joaquim Jaime Barros Ferreira Alves, neto do médico e professor jubilado da Faculdade de Letras do Porto, que doou este acervo do avô ao CPF, no âmbito de um protocolo assinado com Bernardino Castro, director deste espaço cultural na antiga cadeia do Porto. “O neto contactou-nos, porque tinha interesse em preservar e divulgar as imagens para investigação”, conta ao PÚBLICO o director do CPF. Observado todo o acervo, não restava qualquer dúvida acerca “do seu enorme interesse, quer pela qualidade estética, quer pela importância histórica e temas abordados”.

As obras de Joaquim Gomes Ferreira Alves transmitem, assim, testemunhos da época em que viveu e espelham a sua visão como homem cosmopolita e culto que era. Também mostram um olhar diferente sobre o Porto e outras cidades europeias como Roma e Veneza. Segundo o CPF, este fotógrafo amador captou imagens “durante as suas viagens profissionais pelo país e pela Europa, de carro ou a bordo de navios, como o Almanzora ou o Massilia”.

Há ainda imagens de flores, de árvores, de procissões e até de locomotivas neste espólio constituído nomeadamente “por 101 provas soltas de época e 233 provas integradas em cinco álbuns”, segundo Bernardino Castro. Também contempla quatro diapositivos e “41 positivos estereoscópicos que Joaquim Gomes Ferreira Alves comprou num leilão”.

Este acervo inclui ainda documentos textuais, como um manuscrito com caligrafia chinesa, assim como um visor estereoscópio Verascope Richard. O director do CPF fala ainda num retrato do Rei D. Pedro e outro da Rainha D. Estefânia, da autoria de outros artistas, que estavam na família do médico há muitos anos.

O director do centro também realça as exposições do artista, entre 1937 e 1941, em salões internacionais de arte fotográfica e alguns prémios que arrecadou.

Joaquim Gomes Ferreira Alves foi ainda retratista da família, amigos e personalidades de cultura e da medicina, como o médico e filho Álvaro Gomes Ferreira Alves, o médico e historiador Pedro Vitorino, o arquiteto Francisco Oliveira Ferreira e a violoncelista Guilhermina Suggia, entre muitos outros.



Consultado a 25 de Novembro de 2016

Sem comentários:

Enviar um comentário