quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

10 Dicas para Fotografia Noturna


1 – Modo manual sempre


Figura 1: Fogueira. Canon 5D Mark II, Canon 50mm. f/5.6, 2 seg, ISO 500.

A fotografia noturna exige que seja tirada em modo manual, e fotografar em RAW, assim retém-se mais informação da foto, o que será especialmente útil na hora de fazer correções durante a edição.

2 – Atenção à velocidade do obturador


Figura 2: Canon 5D Mark II, Rokinon 14mm. f5.6, 13 seg, ISO 640


A principal característica técnica da fotografia noturna é o uso de baixas velocidades de obturador.
Quanto mais tempo de exposição, mais luz o sensor da câmera vai absorver e mais clara a foto ficará.


3 – Abertura de diafragma e ISO


Figura 3: Praia do Félix. Canon 5D Mark II, Canon 24-105mm (24mm). f/4, 60 seg, ISO 640.


Fotografia de paisagem tem uma recomendação básica: feche ao máximo o obturador da sua câmera, em outras palavras, usar o maior f possível. Isso aumenta o campo de foco e a nitidez da foto.


4 – Balanço de branco


Figura 4: Estrada com estrelas. Canon 5D Mark II, Rokinon 14mm. f/2.8, 30 seg, ISO 1.600.


A escolha do balanço de branco deverá levar em conta dois fatores: a presença de luzes artificiais na cena e o estágio da lua.

5 – Tripé é fundamental


Figura 5: Canon 5D Mark II, Rokinon 14mm. f/2.8. 25 seg, ISO 1.600.


O tripé é essencial para que a foto não saia borrada. Se for o caso de não possuir um tripé, poderá sempre optar por tentar posicionar a câmera no chão ou em outro objeto, mas isso vai limitar muito as suas possibilidades de enquadramento.




6 – Privilegie lentes angulares


Figura 6: Canon 500D, Canon 18mm-55mm (18mm). f/4.5, 30 seg, ISO 3.200.


Quanto mais angular, maior será o campo de visão da lente.

7 – Proteja-se!


Figura 7: GoPro Hero4. f/2.8, 5 seg, ISO 800.


Ande sempre acompanhado, não saia sem lanternas e muita atenção ao chão quando estiver andando na natureza.
Leve o que for necessário: roupa de frio, repelente, água, calçado apropriado. Também é útil fazer uma check-list antes e depois das fotos, para ter certeza que não esqueceu nem perdeu nada.

8 – Prepare-se para usar o foco manual


Figura 8: Serra da Bocaina. Canon 5D Mark II, Rokinon 14mm. F/2.8, 30 seg, ISO 1.600.


O foco automático não funciona na grande maioria das fotografias noturnas de natureza, pois simplesmente não há luz o bastante.

9 – Formule uma ideia da foto na sua cabeça


Figura 9: Muro de árvores, Praia do Félix, Ubatuba. f/5.6, 30 seg, ISO 1.600


Desenvolva uma história para a foto e construa o clima da imagem. Pense em quais elementos existem naquela paisagem e como relacioná-los para chamar a atenção do seu público. Uma mesma paisagem pode ter um ar mágico ou sombria, confortável ou hostil, por exemplo. O que irá determinar isso é a sua intenção e criatividade!




10 – Evite posicionar a linha do horizonte no meio da foto.


Espelho na Praia do Puruba. Canon 5D Mark II, Rokinon 14mm. f/2.8, 30 seg, ISO 1.600.


Essa é uma dica básica de toda foto de paisagem: coloque a linha do horizonte no terço inferior ou superior da foto. Em geral, ao posicionar a linha do horizonte exatamente no meio da foto criam-se composições mais quadradas e enfadonhas.



Consultado a 30.novembro.2016

Sem comentários:

Enviar um comentário