quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

The Magnificent Eleven, de Robert Capa

“The Magnificent Eleven”

Robert Capa (Húngria, 1913 - Vietname, 1953)

“Se a imagem não é boa, é porque não estás perto o suficiente.”

Eleito o melhor fotógrafo de guerra do mundo pela revista Picture Post.
fig.1 - Robert Capa, de nome verdadeiro Endre Ernő Friedmann

fig.2 - “Desembarque na Normandia” (1944 Normandia, França)

 Esta fotografia faz parte da coletânea “The Magnificent Eleven”, que é composta por mais dez fotografias todas tiradas no “Dia D” (Desembarque da Normandia).

 Capa tirou cento e seis fotografias nesse dia, num espaço de duas horas, sempre sob fogo de ambas as frentes. No entanto, um acidente no processo de revelação do filme (em Londres), fez com que apenas onze fotografias do total sobrevivessem - daí o nome “The Magnificent Eleven”.

 Para tirar as fotografias, Robert Capa utilizou duas máquinas fotográficas Contax II, com lentes de 50mm.

fig.3 - Câmara fotográfica Contax II

Hoje em dia, estas fotografias são um ícone da Segunda Guerra Mundial, representando talvez o maior ponto de viragem para os aliados. Tendo sido utilizadas como inspiração para diversas formas de arte, como por exemplo o filme Saving Private Ryan, de Steven Spielberg.

fig.4 - Saving Private Ryan, de Steven Spielberg


 Capa morreu cedo (aos 40 anos), no Vietname, após ter pisado uma mina terrestre, durante a Primeira Guerra da Indochina (onde combatiam os franceses já há oito anos), para onde havia sido enviado pela revista Life para cobrir o conflito.
 O corpo de Robert foi encontrado com as pernas despedaçadas, e com a sua máquina fotográfica entre as mãos. 

Sem comentários:

Enviar um comentário